Microsoft se nega a ceder sistema de reconhecimento facial para a polícia dos EUA

Os sistemas de reconhecimento facial estão cada vez mais avançados. Há desde os sistemas mais simples, como os utilizados por smartphones para desbloquear os aparelhos ao identificar o rosto cadastrado pelo usuário, até os mais complexos, desenvolvidos para identificar, por câmeras de segurança, pessoas em quaisquer lugares, públicos ou privados.

Por todo o mundo, a tecnologia já começa a ser testada ativamente. No Japão, foi confirmado em agosto de 2018 que o governo utilizaria reconhecimento facial durante os Jogos Olímpicos de 2020. Também em 2018, a polícia britânica começou testes com seu sistema durante o Natal, aproveitando o crescimento de fluxo de pessoas nas cidades inglesas.

Nos Estados Unidos, a ideia ainda encontra maior resistência. A Microsoft, uma das gigantes tecnológicas do planeta, possui um sistema avançado, e as forças policiais americanas há muito insistem para que eles cedam a ferramenta para que seja utilizada por agentes de segurança. Após alguma espera, a Microsoft se posicionou e recusou ceder a tecnologia.

Segundo o The Verge, durante uma palestra em uma universidade, o presidente da Microsoft, Brad Smith, expressou seus temores ao dizer que a tecnologia poderia afetar mulheres e minorias de forma desproporcional. Pesquisas recentes mostram que o reconhecimento facial é testado prioritariamente em rostos brancos e masculinos, e que possui uma alta taxa de erros para outros indivíduos.

O fato de a tecnologia poder estar “viciada” e sujeita a segregação por raça e gênero é um enorme perigo para a manutenção de direitos humanos, já que a possibilidade de minorias serem diretamente afetadas e perseguidas em virtude de erros da ferramenta é real. “Essa tecnologia não é a resposta” disse categoricamente Smith no evento.

Apesar de se negar a entregar a tecnologia para a polícia, a Microsoft já cooperou anteriormente com as autoridades, quando cedeu a tecnologia a um presídio. Na época, a Microsoft se defendeu dizendo que o uso seria em um espaço limitado e que a ferramenta ajudaria a manter o lugar em segurança.

Extraido de Microsoft se nega a ceder sistema de reconhecimento facial para a polícia dos EUA

Silvio Girotto

Amante de redes sociais, comunicadores instantãneos e de Marketing Digital

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *