Os principais hacks que você precisa saber para conseguir mais views em seu canal no Youtube

Todo mundo já sabe que o Youtube é o segundo maior buscador do mundo. E, como todo buscador, ele tem seu algoritmo.

Este utiliza dados para levar aos usuários os vídeos que eles têm mais tendência de assistir e, assim mantê-los dentro da plataforma.

Para que seu vídeo seja sugerido por meio desse sistema, é crucial entendê-lo a fundo. Em cada vídeo são analisados vários fatores e, principalmente, se os espectadores gostam e assistem o conteúdo.

Existem diversas maneiras de entender o algoritmo e otimizar seus vídeos para que eles performem cada vez melhor.

Neste texto, você vai aprender mais como funciona o algoritmo do Youtube, as principais fontes de tráfego da plataforma e diversas práticas que poderá usar agora mesmo para alcançar mais views e conseguir atrair mais seguidores para seu canal.

Qual a sua fonte de tráfego?

Um bom profissional de marketing é aquele que faz mais perguntas do que tem respostas. E uma boa primeira pergunta que devemos nos fazer ao pensar em nosso canal do Youtube é: “De onde as visitas do meu canal vêm?” ou, em outras palavras, “Qual a minha fonte de tráfego?”

Para ficar claro: seu tráfego é exatamente igual ao total de visualizações nos vídeos do seu canal.

Ou seja, se você teve 20 mil visualizações em seu canal no período que corresponde os últimos 30 dias, seu tráfego é de 20 mil.

Ok, entendido. Mas de onde ele está vindo?

Você pode checar essa informação acessando o Analytics do seu canal. Basta clicar no ícone do seu canal no canto superior direito e selecionar “Estúdio de Criação”.

Quando abrir o “Estúdio de Criação Beta”, clique em “Estatísticas” no canto esquerdo. Na aba “Alcance”, se você rolá-la para baixo, você chegará na informação da sua fonte de tráfego.

Acompanhe na imagem abaixo.

via GIPHY

Como você pôde observar pelo gif, existem 4 principais origens da sua fonte de tráfego:

  • Externa;
  • Recursos de navegação;
  • Pesquisa do Youtube;
  • Vídeo Sugeridos.

Aqui, por motivos que vocês entenderão em breve, focaremos principalmente nas duas últimas: “Pesquisa de Youtube” e “Vídeos Sugeridos”. Mas, antes, vamos discorrer um pouco sobre as outras.

Externa

A sua fonte de tráfego externa tem relação direta com sua influência em mídias sociais e outros meios externos de replicação de seu conteúdo.

Você pode fazer isso encaminhando o vídeo do seu canal para pessoas de suas principais redes sociais, embedar o vídeo no seu blog post ou adicioná-lo a uma lista de email.

Outra maneira é ser encontrado pela própria busca orgânica no Google.

Essa é uma ótima maneira de conseguir visualizações — na Rock Content a utilizamos bastante.

Por estar levando usuários de sites externos para o Youtube, a plataforma recompensa, justamente porque quer pessoas ativas lá dentro.

De toda forma, essa estratégia depende muito de outros meios. Então, a melhor maneira é utilizá-la quando você deseja views extras para seus conteúdos.

Recursos de navegação

A fonte de tráfego por meio dos recursos de navegação tem origem naquelas pessoas que veem o conteúdo nas suas páginas iniciais do Youtube ou no seu feed de inscritos. 

Para conseguir mais views, você precisa de mais inscritos. Por essa a razão, você tem que construir melhor sua base.

Com um maior número de seguidores tendo acesso ao seu feed, maior a chance de você receber audiência para algum dos seus vídeos.

E um detalhe: isso não acontece só com seus inscritos. Mesmo se você não estiver logado, o Youtube ainda estará estudando seu comportamento e começará a te mostrar mais sugestões de vídeos sobre os assuntos relacionados aos que você assiste. 

Porém, vamos ao que interessa: falar sobre as duas mais poderosas maneiras de se conseguir visualizações, que são “Vídeos Sugeridos” e “Pesquisa no Youtube”.

Essas fontes de tráfego vêm daqueles vídeos que aparecem ao lado (ou abaixo) do conteúdo que você está assistindo, na barra lateral direita ou quando uma pessoa busca um vídeo por meio de uma palavra-chave no buscador do Youtube.

Dessas duas maneiras, você conseguirá tráfego para seu canal sem ter que ficar divulgando em redes sociais e mesmo se não tiver milhões de inscritos.

Esses vídeos ficarão produzindo mais e mais views para você. Mas a pergunta que fica é: como colocaremos nosso vídeo para aparecer para o usuário dessas duas formas?

Um usuário do Youtube vai na barra de pesquisa e digita uma palavra chave.

Barra de buscas do Youtube

Basta apenas um vídeo do seu canal estar bem rankeado dessa maneira para seu canal mudar de patamar.

Isso porque, por meio de apenas um vídeo, você pode gerar tráfego constante para seu canal e atrair novos inscritos dia após dia.

Isso gerará, inclusive, novas visitas a outros vídeos do seu canal. Apesar de sua frequência de uploads ter peso nos fatores de rankeamento, você nem sempre precisará lançar vídeos com tanta frequência para ter um aumento expressivo de visualizações.

O ideal é que você transforme suas principais fontes de tráfego nessas duas: Pesquisa do Youtube e Vídeos Sugeridos.

Mas, o que fazer para conseguir isso?

Vamos por partes.

Pesquisa no Youtube

Essa é a maneira mais clássica de se conseguir views. Por meio da pesquisa, encontramos mais conteúdos, como dicas de otimização do seu canal para SEO.

Vou te apresentar algumas dicas que não são tão facilmente encontradas. Para atrair um tráfego pela barra de pesquisa do Youtube, você pode usar o seguinte passo a passo.

Tema

O ideal é investir tempo e esforço em criar um conteúdo que sua audiência queira assistir, pois, como já dito, o algoritmo funciona de acordo a com o gosto do público.

Nada impede de você postar um vídeo com um tema que não é tão popular. Contudo, tenha em mente que este vídeo talvez não seja o ideal para impulsionar seu canal na Pesquisa do Youtube.

Para isso, escolha um tema que te atraia e que atraia também um grande número de pessoas.

Thumbnail

Você pode dizer: “Já estou cansado de saber sobre Thumbnail“.

Ok, mas você realmente está fazendo isso da melhor maneira?

No Youtube, o usuário julga sim o livro pela capa. É sempre interessante você tirar fotos exclusivamente para a thumb e usar boas práticas de design gráfico.

Isso influencia muito, porque uma boa miniatura ajuda no seu CTR — Click Through Rate, que significa o número de pessoas que vê seu vídeo como recomendado e, de fato, clica para assistir. 

Veja, a seguir, quatro boas práticas rápidas sobre a thumb:

  1. faça ela com cores de alto contraste, porque isso a destaca em relação a outras;
  2. conte uma história com ela. Dessa forma, é interessante fazer poses planejadas, tirar a foto no cenário e contexto do vídeo ou utilizar um bom frame do vídeo que chame a atenção e desperte a curiosidade do usuário. E lembre-se de tentar sempre utilizar rostos de pessoas, porque isso costuma ter uma maior taxa de cliques — claro, se fizer sentido com o formato de seu vídeo;
  3. utilize elementos gráficos para destacar algo;
  4. lembre-se que ela vai aparecer num tamanho menor para o usuário, principalmente aquele que acessa a versão mobile. Então utilize fontes em tamanhos (ou peso) maiores e fotos de enquadramentos mais fechados.

Bons exemplos de Thumb:

Bons exemplos de Thumb

Título

Junto da thumbnail, vem o título. São esses elementos que compõe a “capa” do livro que, como eu disse, o usuário está julgando.

A thumbnail pode ter texto ou não, mas se tiver um texto, o ideal é que ele seja complementar ao título, como uma combinação pra causar o maior impacto possível e chamar mais atenção do usuário.

É crucial sempre usar sua palavra-chave no título.

Também é importante saber também que seu título precisa ser o mais específico possível. Vamos supor que você está falando de um assunto como hortas em apartamentos.

O título do seu vídeo pode ser exatamente esse “Hortas em apartamentos” ou pode ser “Hortas: 10 plantas perfeitas para seu apartamento”.

Quanto mais específico ele for, mais chama a atenção do usuário e, assim, você terá um maior CTR.

Descrição

Você já fez uma thumbnail chamativa e otimizou seu título. Agora, é hora de mergulhar na sua descrição.

A descrição do vídeo é um metadado que ajuda o YouTube a entender melhor o conteúdo de um vídeo.

As descrições bem otimizadas podem levar ao rankeamento na pesquisa do YouTube. Junto do título e as tags do seu vídeo, o YouTube usa sua descrição para entender o conteúdo (e o contexto) dele.

Veja algumas boas práticas:

  • o texto deve ter pelo menos 150 palavras, quanto mais texto, mais informações para o Youtube entender melhor o assunto do vídeo;
  • o Youtube tende a colocar mais peso nas palavras usadas nas primeiras frases, então é bom já usar todas suas palavras-chaves no início do texto. E lembre-se: as primeiras linhas de sua descrição aparecerão na pesquisa do usuário, então é bom focar nesse conteúdo inicial, pois o usuário pode ler esse conteúdo e decidir clicar ou não — confira na imagem abaixo;
  • repita suas palavras-chave de duas a três vezes, pois dá ênfase no assunto do vídeo;
  • utilize palavras-chave relacionadas, pois dá ao Youtube informações extras sobre o assunto do seu vídeo;
  • lembre-se de fazer chamadas para ação (CTAs), inserir links de outros vídeos dentro do seu canal e colocar links do seu site e/ou redes sociais;

Dica extra: utilize hashtags. Desde 2018 o Youtube passou a suportar hashtags nos vídeos. Elas aparecem tanto abaixo do título dos vídeos, quanto na descrição.

Porém, se você inseri-las na descrição, elas aparecerão no título também. Não se sabe bem se as hashtags ajudam muito aos fatores de rankeamento, mas se temos a possibilidade de sermos encontrados por essa maneira, porque não utilizá-las?

A boa prática é usar uma hashtag fixa que condiz com a principal palavra-chave do seu canal e mais duas relacionadas ao conteúdo do vídeo.

descrição de vídeos no Youtube

Tags

As tags são palavras e frases usadas para contextualizar o YouTube a respeito de um vídeo. As tags são consideradas um importante fator de classificação no algoritmo de pesquisa do YouTube.

Como qualquer outro metadado, suas tags são uma oportunidade de fornecer ao YouTube e ao Google informações extras sobre seu vídeo.

Boas práticas para a utilização das tags são:

  • a primeira tag deve ser sua palavra chave principal;
  • use as palavras-chave focadas e outras mais genéricas;
  • não utilize tantas palavras-chave, pois o assunto acaba ficando genérico e dificulta o Youtube a definir qual é o seu tema;
  • utilize um gerador de tags ou autocompletar do Youtube.

Closed Captions

Os vídeos do YouTube podem oferecer suporte a legendas ocultas para beneficiar pessoas com dificuldades de audição e tornar seu conteúdo acessível.

Além disso, as legendas são rastreadas pelo YouTube e pelo Google, para que elas possam trabalhar para impulsionar seu SEO, então, é interessante utilizá-las também.

Um bônus é que muitas pessoas acabam ativando as legendas quando se encontram em uma situação em que não podem (ou não querem) ativar o som do vídeo. Assim, uma simples legenda, poderá mantê-la assistindo seu conteúdo.

Conteúdo

Por fim, mas não menos importante, não basta ter uma alta taxa de CTR, ou seja, ter um ótimo tema, thumb e título atraentes, se seu conteúdo for entediante.

O YouTube é uma plataforma com uma infinidade de distrações para que os usuários cliquem em outro vídeo.

Por isso, os primeiros 15 segundos de qualquer vídeo devem ser pensados intencionalmente para captar a atenção da audiência.

Uma boa estratégia é responder estas duas perguntas:

  1. Porque eu deveria continuar assistindo?
  2. Que valor isto traz pra mim?

A grande maioria da audiência não tem paciência para deixar desenrolar o conteúdo do vídeo. As pessoas não costumam esperar pelo clímax para entender se aquele vídeo era realmente importante para ele. Ainda mais com tantos outros vídeos sugeridos para clicar.

Assim, uma boa prática é dar uma prévia do conteúdo, ou seja, apresentar rapidamente um resumo do conteúdo do vídeo logo nos primeiros segundos, para o usuário entender sobre o que será o vídeo e quais as dores ele sanará. 

É legal criar conexão humana, explorar algum ponto de conexão entre o seu conteúdo e a audiência, para gerar maior engajamento.

Outra prática interessante é pensar no formato do vídeo. Existem diversos formatos que podem ser explorados, tais como vídeo de entrevistas, tutoriais, mini-documentários, entre outros.

Você pode se interessar por esses outros conteúdos sobre e-commerce e gestão!

👉 Ferramentas para o Youtube: 15 melhores para o seu canal

👉 Top 10 maiores canais do Youtube no Brasil e no mundo [2019]

👉 Mudar o nome do canal do Youtube: faça isso pelo celular ou computador

Pensando nesses formatos, é importante lembrar de estimular continuamente o usuário, para que ele não se canse de seu conteúdo.

Para isso, você pode diversificar os enquadramentos, utilizar motion graphics, efeitos sonoros, erros de gravação, brincadeiras, tudo isso vale para que seu vídeo não perca a dinamicidade.

Um bom método é usar um formato que segue mais ou menos um padrão como esse a seguir:

Introdução — Vinheta — Pitch — Problema — Solução — CTA

A seguir, discorro rapidamente sobre cada etapa. Acompanhe!

Introdução

São os mencionados 15 segundos iniciais do vídeo. Nesse momento, você tem poucos segundos para convencer o espectador a permanecer no seu vídeo.

Capte a atenção do usuário e apresente um teaser sobre o conteúdo do vídeo. Identifique e exponha o problema que o seu conteúdo sanará e deixe claro os benefícios que o vídeo trará ao espectador.

Vinheta

Animação curta do seu logotipo ou nome, a fim de estabelecer uma identidade clara entre os seus vídeos.

Pitch

Resumidamente, fale quem você é e qual o propósito do seu canal. Parta do princípio que uma grande parcela dos espectadores do seu conteúdo ainda não é inscrito do seu canal.

Sabendo disso, já convide o usuário a seguir seu canal para não perder seus conteúdos.

Problema

Introduza o conteúdo do vídeo dando um contexto, apresentando problemas, dores ou curiosidades a serem exploradas no restante do vídeo.

Novamente, você precisa convencer o espectador a assistir ao restante do vídeo, desta forma, traga valor ao espectador.

Solução

Esta é a parte mais valiosa do vídeo! Traga um conteúdo relevante ao espectador. Não se venda, não promova nada, apenas se concentre em entregar o conteúdo que você prometeu.

CTA

Esse é o desfecho da história que você construiu até então. Dê uma conclusão coerente com o assunto e apresente suas opiniões. E o mais relevante: chame o espectador a interagir com o seu conteúdo.

Foque em uma — apenas uma — ação de engajamento: pedir para dar um like, compartilhar o vídeo, responder alguma pergunta específica, relacionar com algum outro vídeo do canal. Esta é uma parte estratégica do seu vídeo!

Dica extra: lembre-se de incentivar os usuários a comentarem seus vídeos e, principalmente, tome um tempo para responder esses comentários.

De acordo com o próprio Youtube, essa é uma boa prática para aumentar sua base de inscritos ativos.

Com todas essas dicas, podemos caminhar para a próxima e poderosa fonte de tráfego, os Vídeo Sugeridos.

Vídeos sugeridos

Os vídeos sugeridos são aqueles conteúdos que ficam em uma seção na barra lateral (ou abaixo do vídeo se você estiver na versão mobile) do Youtube e que são relacionados — pelos algoritmos da plataforma — ao conteúdo do vídeo que está sendo assistido.

Se você conseguir com que seu vídeo apareça como sugerido pelo Youtube, você pode conseguir milhares e até milhões de visualizações.

Mas é necessário alertar: para o Youtube te sugerir como conteúdo para um usuário, seu canal já deve ter um número considerável de seguidores e um bom tempo médio de visualização (explicaremos sobre isso logo mais à frente).

De toda forma, seguindo este passo a passo, você pode aumentar bastante a chance seus vídeos aparecerem como sugeridos para os usuários.

vídeos sugeridos para os usuários

Encontre um vídeo popular no seu nicho

Você pode fazer isso de duas maneiras: a primeira é usando a Pesquisa no Youtube, ou seja, fazendo uma busca pela palavra-chave que você deseja rankear.

Depois disso, é só ficar de olho em vídeos que já tenham várias visualizações (não necessariamente serão os melhores rankeados).

A segunda é indo diretamente no canal do seu principal concorrente para esse termo e procurar pelos seus vídeos mais populares. Para fazer isso basta entrar no canal do seu concorrente, clicar em “Vídeos”, depois em “Ordenar Por” e escolher “Mais populares”.

Assim, você terá uma lista dos vídeos do seu concorrente com melhor desempenho na plataforma.

vídeos sugeridos

Crie um vídeo maior e melhor

Agora que você encontrou um vídeo popular, é hora de criar algo maior e melhor. Mas por que isso é preciso? Recentemente o Youtube publicou essa nota em que explica melhor sobre como os vídeo sugeridos funcionam.

Ao que parece, o Youtube foca em um aspecto chamado “Tempo de Exibição Esperado”. Isso é basicamente uma maneira do algoritmo de estipular quanto tempo alguém gastará assistindo seu vídeo, após clicar nele.

Assim, o Youtube promove os vídeos que mantém as pessoas dentro da plataforma. Então, quanto maior o seu Tempo de Exibição Esperado (ou Tempo Médio de Visualização), maior a chance do Youtube recomendar seu vídeo a outros usuários.

Mas, para manter as pessoas assistindo, seu vídeo tem que ser realmente bom. E, para isso, você pode seguir muitas daquelas dicas que escrevi logo acima para rankeamento na Pesquisa.

Como não custa nada relembrar, vou enfatizar as principais:

  • foque no tema e principalmente nos primeiros 15 segundos do seu vídeo. É crucial criar uma ótima introdução, fazendo exatamente a promessa que você cumprirá durante seu vídeo, mostrando que você tem cacife para falar daquilo, exibindo dados e gráficos, por exemplo;
  • adicionar pequenas interrupções e mudar o padrão visual. Seja mudando o enquadramento, adicionando motion graphics ou fazendo uma brincadeira.

De acordo com estudo da Backlinko, foi constatado que vídeos mais longos normalmente performam melhor do que vídeos curtos.

Isso acontece porque o Youtube promove vídeos que mantém as pessoas no Youtube e os mais longos tendem a ter uma maior Tempo de Exibição Esperado.

Imagine dois vídeos, sobre o mesmo tema: o primeiro tem 3 minutos e as pessoas normalmente chegam até a metade do vídeo, o que é ótimo. Ele tem um Tempo de Exibição de 1 minuto e meio.

O segundo vídeo tem 10 minutos no total e as pessoas normalmente param no início do vídeo, por volta dos 3 minutos. Ele tem um Tempo de Exibição de 3 minutos.

Mesmo que as pessoas não cheguem nem na metade do segundo vídeo, este proporciona ao usuário um tempo duas vezes maior na plataforma do Youtube. A retenção do usuário é maior, então o algoritmo do Youtube priorizará e sugerirá o segundo vídeo em detrimento do primeiro.

Mas claro, enfatizamos que quanto maior seu Watch Time, mais o Youtube recomendará seus vídeos aos usuários.

Então, mesmo que esse Tempo de Exibição de 3 minutos seja maior do que o do vídeo concorrente, ainda sim, é uma taxa baixa de Watch Time comparado ao tempo total do vídeo.

Uma outra prática interessante para aparecer como sugerido em um vídeo popular, é utilizando as tags.

Para isso, basta você copiar as palavras-chave de seu concorrente, porque a própria Youtube Creator Academy diz que se os metadados de seu vídeo casarem com os de um vídeo que alguém está assistindo, é mais provável de seu vídeo aparecer como um vídeo sugerido para ele.

Para verificar as palavras-chave de seu concorrente, você pode usar essa extensão do Google Chrome chamada VidIQ.

Seja encontrado

É muito importante entender como seus vídeos são encontrados. Isso pode influenciar diretamente no sucesso do seu canal.

O YouTube é muito conhecido, com centenas de horas de vídeos enviadas a cada minuto. Já que nenhuma equipe no mundo conseguiria assistir tanto conteúdo para analisar os dados, a plataforma conta com um algoritmo sofisticado para levar os espectadores até os vídeos que eles têm mais chances de assistir e gostar.

O algoritmo é basicamente um ciclo de feedback em tempo real que personaliza a apresentação dos vídeos de acordo com os interesses do espectador. Ele faz o melhor possível para exibir o vídeo certo na hora certa para cada um dos espectadores ao redor do mundo.

E como ele faz isso? Com dados. Em cada vídeo, como já dito, são analisados títulos, thumbs, descrições e se os espectadores gostam dele.

É também analisado por quanto tempo os espectadores assistem o vídeo, se clicam em “Gostei” ou “Não gostei” e o número de comentários.

E, para cada pessoa , é analisado o que ele já assistiu, quanto tempo passa assistindo vídeos e o que ele não gosta de assistir.

Em resumo, o algoritmo tem dois objetivos simples:

  • ajudar os espectadores a encontrar os vídeos que eles querem assistir;
  • fazer com que continuem assistindo o conteúdo favorito deles, levando-os a ficar mais tempo dentro do Youtube.

E o que fazer para o algoritmo gostar dos seus vídeos? É simples: faça o público gostar deles. O algoritmo segue o público. Se os espectadores curtem seus vídeos, o algoritmo assim entenderá como um bom conteúdo e o exibirá para outras pessoas.

Seguindo as diversas dicas que escrevemos acima, você consegue compreender melhor o algoritmo do Youtube e as melhores práticas para ser encontrado na plataforma.

E aí? Pronto para bombar seu canal? Escolha um bom tema e coloque já a mão na massa!

Se você quer saber um pouco mais para se tornar um expert no assunto, baixe agora o nosso e-book gratuito sobre Marketing no Youtube!

Extraido de Os principais hacks que você precisa saber para conseguir mais views em seu canal no Youtube

Silvio Girotto

Amante de redes sociais, comunicadores instantãneos e de Marketing Digital

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *