Netflix deve (de novo) pular o Festival de Cannes em 2019

Embora a Netflix esteja aos poucos reconsiderando sua posição disruptiva frente o mercado de distribuição tradicional em busca de seu primeiro Oscar de Melhor Filme, sua velha briga com o circuito pelo visto segue acontecendo nos bastidores. De acordo com a Variety, o serviço de streaming deve manter em voga este ano sua decisão de boicote ao Festival de Cannes, se abstendo inclusive de inscrever suas produções na disputa por lugares na programação dentro e fora de competição.

A informação é surpreendente dado que o clima entre o festival e o estúdio nos últimos meses vem sendo de reconciliação. O CCO da Netflix Ted Sarandos e o diretor artístico de Cannes Thierry Frémaux já se reuniram múltiplas vezes desde a última edição do evento para resolver a briga entre as duas entidades, o que incluiu – segundo a Hollywood Foreign Press – um jantar na semana passada entre os dois executivos e o atual chefe da divisão de filmes do serviço de streaming Scott Stuber.

A questão, porém, não se limita apenas à falta de uma resolução entre as duas partes que possibilitaria o retorno da Netflix ao festival, mas também envolve aparentemente o fato de que estúdio não possui no momento um filme pronto para inscrever em Cannes. “O Irlandês” de Martin Scorsese, por exemplo, seria o principal interesse de Frémaux no momento para colocar na programação do evento, mas o filme se encontra em meio a um extenso processo de pós-produção devido aos efeitos visuais e não deve ficar pronto a tempo de uma premiere em maio – o que aumenta as especulações de que o longa poderia fazer parte da próxima seleção do Festival de Veneza, que virou uma “casa” para a empresa depois do boicote a Cannes.

Na leva de produções originais do serviço de streaming que também devem ficar de fora do festival este ano há ainda “The Laundromat”, o novo filme de Steven Soderbergh que conta com Meryl Streep no elenco; “The King”, projeto do australiano David Michôd co-escrito por Joel Edgerton e estrelado por Timothée Chalamet e Ben Mendelsohn; e “Uncut Gems”, produção dirigida pelos irmãos Benny e Josh Safdie que ganhou destaque por ser estrelada por Adam Sandler.

Mesmo sem filmes originais no line-up, a Netflix ainda deve aparecer no festival este ano com uma equipe de aquisição de direitos para tentar comprar alguns dos filmes mais badalados do evento, repetindo a ação que no ano passado rendeu ao seu catálogo as adições de “Lazzaro Felice” e “Girl”. Com o diretor Alejandro González Iñárritu de presidente do júri, a edição 2019 do Festival de Cannes acontece entre os dias 14 e 25 de maio.

Extraido de Netflix deve (de novo) pular o Festival de Cannes em 2019

Silvio Girotto

Amante de redes sociais, comunicadores instantãneos e de Marketing Digital

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *