Nada faz muito sentido neste comercial de companhia aérea japonesa

Estamos nos aproximando a passos largos das Olimpíadas 2020, e faltando pouco mais de um ano para os jogos a companhia aérea japonesa All Nippon Airways (ANA) resolveu criar uma campanha que mira em todo o público millennial nos Estados Unidos que já está planejando sua viagem a Tóquio.

A questão é que os comerciais criados pela VMLY&R New York para a marca são um pouco… atípicos do que a gente está acostumado a ver em peças publicitárias de companhias aéreas, mesmo num mundo onde a Air France dia sim, dia não resolve causar no meio. Dirigido por Philippa Price, um cineasta celebrado na música que já comandou clipes de música e aquela apresentação da Rihanna e do DJ Khaled no Grammy 2018, os vídeos da campanha “Japan Elevated” dão um passo além no termo “surreal” e mergulham por completo na birutice movida a LSD. Confira acima a peça na íntegra e… deslumbre-se.

Segundo Price, a ideia por trás de “Japan Elevated” (e que o levou a assumir o trabalho) era algo como “um sonho no céu”, o que fica meio claro na forma como o avião da ANA logo se desmonta numa espécie de semi-sonho de Dalí. “Foi fantástico trabalhar com um cliente e uma agência que estavam dispostos a testar os limites estilísticos do comercial e manter a integridade artística do conceito original” o cineasta acrescenta.

A questão é: que diabos de conceito original era este? É sério, nem os spots da peça criada por Price, que em teoria dissecam o vídeo e colocam cartelas para “explicar” o conteúdo do comercial, parecem ajudar muito na hora de decifrar a peça como um todo. Confira abaixo:

Extraido de Nada faz muito sentido neste comercial de companhia aérea japonesa

Silvio Girotto

Amante de redes sociais, comunicadores instantãneos e de Marketing Digital

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *