MySpace perde 15 anos em arquivos de música ao mudar de servidor

Se você é daquelas pessoas que usou intensamente o MySpace nos anos 2000 para subir online e armazenar todas as suas músicas favoritas ou composições próprias, todo aquele esforço acaba de ser jogado fora pela própria plataforma. Em um e-mail enviado a um usuário do Reedit, a rede social confirmou que perdeu TODOS os arquivos armazenados em seu histórico entre os anos de 2003 e 2015 depois que uma rotineira mudança de servidor corrompeu todos as pastas a ponto de torná-las intransferíveis ao novo site – e sim, não há como recuperar nenhum dos arquivos.

A informação de que o site perdeu todo o seu rico histórico já circulava como boato há um ano nas redes sociais, quando foi noticiado que o MySpace estava enfrentando problemas para reproduzir ou baixar quaisquer vídeos ou canções lançados em sua plataforma até três anos atrás. Na época, a empresa chegou a afirmar que estava trabalhando para corrigir o problema, mas agora pela resposta oficial a situação chegou ao ponto de ser impossível “recuperar todos os dados perdidos”, sejam eles músicas, fotos ou vídeos.

A perda é gravíssima se considerar a posição central que o MySpace ocupou no primeiro boom das redes sociais no começo do século, tendo servido como principal receptáculo de arquivamento de músicas e fotos até a entrada do Facebook em 2008. A plataforma também foi base para inúmeras bandas divulgarem seus trabalhos, incluindo o Arctic Monkeys que é hoje um dos principais nomes do cenário indie da música estadunidense.

A perda do MySpace agora deve atiçar a questão da preservação histórica no meio digital em outras empresas, incluindo sites como o YouTube, o Vimeo e o próprio Facebook que hoje recebem todo tipo de arquivo de seus usuários sem que estes considerem o famoso backup por um instante na hora de postar seus trabalhos.

Extraido de MySpace perde 15 anos em arquivos de música ao mudar de servidor

Silvio Girotto

Amante de redes sociais, comunicadores instantãneos e de Marketing Digital

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *