5 tendências, segundo a IBM, que devem mudar como vivemos e trabalhamos

Todos os anos, a IBM analisa dados e informações globais através da IBM Research, que ajudam a montar uma visão sobre as tendências tecnológicas que devem afetar o modo como vivemos, trabalhamos e interagimos.

O relatório de 2019 “5 in 5”, que será oficialmente apresentado na próxima quarta-feira (13/02), durante a conferência global Think 2019, apresenta 5 tendências que têm fortes chances de mudar as nossas vidas nos próximos cinco anos.

Entre os destaques, temos o uso da tecnologia Blockchain “para o bem”, ajudando a diminuir o desperdício de alimentos e a quantidade de lixo produzido por pessoa. E por falar em lixo, outra aposta da empresa é que o descarte de lixo será cada vez mais diferente, aumentando consideravelmente a forma como as indústrias o reutilizarão.

Confira as 5 tendências tecnológicas da IBM para os próximos 5 anos:

Reciclagem radical

Segundo a empresa, o descarte de lixo e a fabricação plásticos serão bem diferentes nos próximos anos. Todo plástico será reciclável graças a inovações como o VolCat, processo químico que sintetiza o poliéster em uma substância reutilizável na fabricação de novos produtos.

Essa transição impulsionada por inovações deverá revolucionar completamente a forma como descartamos o lixo, promovendo uma reciclagem bem maior do que fazemos hoje.

Digital Twin ajudando na produção de alimentos

Digital Twin é uma versão virtual de um objeto real. Uma espécie de duplicação digital feita através de Inteligência Artificial. Segundo o relatório da IBM, essa duplicação usada na agricultura ajudará a alimentar a população utilizando menos recursos.

O resultado seria uma economia de recursos compartilhados, que permitirá o aumento do rendimento das culturas e a segurança alimentar, a um custo ambiental menor.

Blockchain do bem

As tecnologias Blockchain, IoT e IA unirão forças para evitar o desperdício de alimentos. Isso porque essas tecnologias serão usadas para colocar mais alimentos em nossos pratos e reduzir a quantidade de lixo que produzimos, já que cada participante do ecossistema alimentar saberá exatamente quanto plantar, encomendar e distribuir, reduzindo o desperdício e
tornando os alimentos mais frescos.

O mapeamento do microbioma protegerá nossa saúde

O acesso a informações sobre milhões de bactérias aliado à análise da constituição genética dos micróbios (microbioma), nos ajudará na proteção contra bactérias ruins, principalmente nas presentes em produtos que consumimos, também nos dizendo muito sobre a segurança do que compramos.

Telefones como detector de bactérias

Ainda no campo da saúde, a IBM garante que com o uso de qualquer celular, as pessoas poderão detectar agentes contaminantes perigosos nos alimentos. Para isso serão usados poderosos sensores portáteis de Inteligência Artificial, que permitirão que testes de patógenos sejam realizados em segundos, em vez de dias, possibilitando a identificação, sem esforço, de agentes contaminantes perigosos nos alimentos.

Algumas das previsões de anos anteriores da IBM já viraram realidade. Entre elas, o avanço das cidades inteligentes, os “computadores que te ouvem” e o “seu DNA na rede” que, em 2013, já afirmava que o sequenciamento completo do DNA estava a caminho de se tornar procedimento de rotina. Pouco tempo depois da previsão, o New York Genome Center e a empresa começaram uma colaboração para acelerar a corrida para um tratamento personalizado e que poderia salvar vidas de pacientes com câncer no cérebro.

Estaremos de olhos nos próximos 5 anos!

Extraido de 5 tendências, segundo a IBM, que devem mudar como vivemos e trabalhamos

Silvio Girotto

Amante de redes sociais, comunicadores instantãneos e de Marketing Digital

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *